A minha vida aos bocados...
Quinta-feira, 05 de Março de 2009

 

O mistério das cousas, onde está ele?

Onde está ele que não aparece

Pelo menos a mostrar-nos que é mistério?

Que sabe o rio disso e que sabe a árvore?

E eu, que não sou mais do que eles, que sei disso?

Sempre que olho para as cousas e penso no que os homens pensam delas,

Rio como um regato que soa fresco numa pedra.

Porque o único sentido oculto das cousas

É elas não terem sentido oculto nenhum,

É mais estranho do que todas as estranhezas

E do que os sonhos de todos os poetas

E os pensamentos de todos os filósofos,

Que as cousas sejam realmente o que parecem ser

E não haja nada que compreender.

Sim, eis o que os meus sentidos aprenderam sozinhos: —

As cousas não têm significação: têm existência.

 

As cousas são o único sentido oculto das cousas.

 

Alberto Caeiro in "O Guardador de Rebanhos"

 

 

 

publicado por DarkAngel às 02:02


mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
31


posts recentes

O Mistério das Cousas

Últ. comentários
Este poema de E.E Cummings é um dos meus favoritos...
Alcorein!! Há quanto tempo!! Morro de saudades da ...
Estas pesquisas no google são ouro. Os meus coment...
se estás assim agora, imagina no verão! ahah
Eu também!!!
Já tinha saudades tuas!! :-)
Sim,de facto tenho de confessar gosto mais desta v...
Sem dúvida...Mas deviamos ter um botão para aciona...
Há animais que merecem mais carinho do que muitas ...
sim ^^
mais comentados